Turismo Marítimo

Desportos Náuticos: uma região com tradição

Banhado pelo Atlântico, o Algarve assume-se como uma região de excelência na relação com o mar. A importância da costa algarvia remonta à Era das Descobertas, por ter sido um dos principais portos de partida para os navegadores portugueses. Nesses tempos também o comércio era uma atividade muito importante na região, nomeadamente através da via maritima, na rota das especiarias que vinham das terras de África e do Oriente.

A prática de desportos náuticos na região é um dos exemplos desta ligação ao mar, tanto na sua vertente desportiva e de competição como na sua vertente do lazer e ocupação dos tempos livres.

Na década de 60 muitas foram as modalidades praticadas nas águas algarvias. A Vela, por exemplo, era uma das atividades lúdicas da “Mocidade Portuguesa”. A sua prática foi impulsionada em diversos locais no Algarve, nomeadamente em Vila Real de Santo António, Tavira, Olhão, Faro e Portimão. Também a Canoagem (em Faro e Portimão), o Remo (principalmente em Faro), o Windsurf e a Pesca Desportiva (Alto Mar e de Terra) foram modalidades a que os algarvios aderiram e continuam a praticar com regularidade. Anos mais tarde, ganharam relevo modalidades como a Natação de Mar, o Mergulho, a Pesca Submarina e a Pesca Grossa (Big Game Fishing), com a adesão de centenas de praticantes.

A Pesca Grossa foi potenciada recentemente (década de 90) pela rota dos atuns e dos peixe de bico (principalmente os espadins branco e azul), que vão desovar no Mar Mediterrâneo e que passam relativamente perto da costa algarvia. Esta modalidade desportiva desenvolveu-se através da realização de concursos desportivos, principalmente em Tavira com a realização do “Torneio de Pesca Grossa de Tavira” que teve a sua 1ª edição em 1998. Este torneio rapidamente teve uma grande adesão, passou a apurar o representante de Portugal no Torneio ROLEX IGFA Offshore Championship (campeonato mundial de pesca grossa) e serviu de exemplo para a organização de eventos similares em outros locais do Algarve.

Nos últimos anos, o Kitesurf e o Surf (principalmente na costa vicentina) foram as modalidades que ganharam maior destaque no panorama dos desportos náuticos e aos quais aderiram também muitos entusiastas.

O surgimento do associativismo desportivo, com a criação de dezenas de clubes, associações regionais e respetivas federações, aliado à criação de infraestruturas nauticas (marinas, docas de recreio, cais de atracagem, etc) contribuiram para o desenvolvimento das actividades náuticas nesta região.

O bom trabalho desenvolvido rapidamente começou a dar os seus frutos e começaram a aparecer os primeiros resultados nacionais e internacionais. Todas as modalidades já obtiveram bons resultados e poderíamos inumerar vários atletas que se evidenciaram. A titulo de exemplo, quero destacar alguns desses atletas que obtiveram de facto classificações internacionais importantes. Destaco o velejador Hugo Rocha, do Ginásio Clube Naval de Faro, que foi Medalha de Bronze na modalidade Vela, classe “470”, nos Jogos Olímpicos de Atlanta em 1996, fazendo dupla com Nuno Barreto. O Hugo Rocha sagrou-se também campeão do Mundo e da Europa, em diversas classes de Vela. Destaco também Miguel Martinho, do Clube Naval de Portimão, que foi campeão Europeu de Fórmula Windsurfing, em 2013, e Luís Niza e Paulo Batista, velejadores do Clube Náutico de Tavira, que foram Medalha de Bronze nos campeonatos da Europa de Juniores de 420, na Irlanda, em 2004. Na Pesca Submarina, Jody Lot, atleta do Portisub, foi campeão da Europa e África em 2011 e Campeão do Mundo de Pesca Submarina em 2012. De destacar ainda os atletas Rui Gomes, do Grupo Naval de Olhão, e João Cordeiro, do Sport Clube Escanchinas – Almancil, que alcançaram titulos mundiais na modalidade de pesca desportiva.

Mas não é só na vertente da competição que o recurso ao mar é explorado na nossa região. Os muitos quilometros de praias despoletaram, inevitavelmente, a promoção de eventos e atividades náuticas, fortemente relacionadas com o turismo e com a promoção economica da região.

Acontecimentos de grande projeção internacional decorreram e decorrem na costa algarvia e representam para a região um importante fator de dinamização turística e económica. São exemplos, o Torneio Internacional de Vela do Carnaval, que decorre em Vilamoura, e que assinalou em 2013 a sua 39.º edição, ou o ISAF Youth Sailing World Championship, uma das provas mais importantes do mundo para jovens velejadores, que depois de ter passado por Vilamoura em 1992, chega a Tavira já no próximo ano (12 a 19 de Julho de 2014), numa organização conjunta do Clube Nautico de Tavira e da Federação Portuguesa de Vela. Está previsto a participação de cerca de 400 velejadores de 60 paises diferentes.

Também o Grande Prémio de Portugal / Algarve F1, uma competição Mundial do calendário da União Internacional de Motonáutica, realizou-se por diversos anos consecutivos em Portimão, ou ainda os TP52 (Transpac 52) - Audi MedCup, prova do circuito náutico internacional, que se realizou igualmente em Portimão.

De destacar ainda a realização de diversas provas internacionais de pesca desportiva na região do Algarve, como por exemplo, o Campeonato do Mundo de Clubes de Pesca Desportiva de Mar/Costa, que se realizou na praia da Manta Rota em Maio de 2010.

A paixão pelos desportos náuticos e a crescente expansão de algumas modalidades, têm também levado alguns algarvios a integrarem diversas associações e federações nacionais e internacionais, bem como a formação de juizes e árbitros internacionais algarvios.

Para o desenvolvimento do desporto nautico é crucial a existência de infra-estruturas modernas e eficientes, capazes de proporcionar aos atletas condições de conforto e funcionalidade. Assim, continua a ser uma prioridade a construção de mais acessos ao mar (rampas) e de mais postos de amarração de embarcações, sobretudo no sotavento algarvio, o aparecimento de centros municipais de desportos náuticos, a criação de praias náuticas (com livre acesso de embarcações à vela, kitesurf, windsurf, surf,  canoas, kayaks...) e a criação do Centro Nautico Regional de Alto Rendimento, criando condições para o treino especifico de atletas de alta competição que participam em provas internacionais ao mais alto nivel.

Tão ou mais importante que as infra-estruturas fisicas é a definição administrativa. Atualmente, diversas entidades têm jurisdição ou influência sobre o dominio publico maritimo. Os muncipios, a CCDR Algarve, a Agência Portuguesa do Ambiente, os Parques Naturais, ou a Rede Natura 2000, são exemplos de algumas entidades que têm poder sobre as zonas maritimas, enredando numa teia burucrática e morosa qualquer iniciativa que se queira desenvolver. Interessa de uma vez por todas, dar mais poder nestas matérias aos municipios para que estes possam agir rapidamente nos territórios sob sua responsabilidade.

Numa região ladeada pelo mar, torna-se imperiosa a exploração deste valioso recurso natural, nas suas mais diversas vertentes, designadamente, na prática desportiva, lazer e turística. O seu aproveitamento irá, decerto, repercurtir-se no crescimento sustentado do Algarve. A aposta no Mar é decisiva para o desenvolvimento económico e turistico desta região, plantada a sul.

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Threesome