Estudo de Caso

Análise quantitativa de setores do cluster do mar português

Esta comunicação apresenta um modelo de análise baseado no sistema integrado de matrizes de entradas - saídas (Input-Output) para Portugal, a que chamamos “Matriz da Economia do Mar”, no qual são quantificadas as principais ligações setoriais do cluster do mar português.

Impactos Diretos do Cluster do Mar

Para se proceder a uma análise do cluster marítimo, para evidenciar a sua dinâmica, é fundamental a caraterização económica dos seus setores e a quantificação das suas ligações em termos de interdependência e de impacto. Neste trabalho, com base nos dados do INE e do DPP da “Matriz Input-Output da Produção Nacional (431p x 123p), a preços de base para Portugal, relativas ao ano de 2008, foi criada uma nova matriz de entradas-saídas da produção nacional, de 126p x 126p, que vamos designar por matriz da economia do mar [MEM]. Nesta nova matriz foram individualizados os seguintes setores marítimos: Pesca e aquicultura; Preparação e conservação de peixes, crustáceos e moluscos (transformação do pescado); Construção naval; Reparação naval; Transportes por água (transportes marítimos); Atividades auxiliares dos transportes por água (portos); Atividades de náutica de recreio e marinas (náutica de recreio e marinas). Nesta análise não foram individualizados os restantes setores marítimos, mas foi possível fazer uma estimativa do seu valor.

Com base na [MEM], contabilizando os setores de atividades marítimas acima mencionados e estimando o peso dos restantes setores do mar, resultaram os valores para o peso do cluster do mar na produção nacional, considerando apenas o efeito direto, que se indicam na seguinte tabela:

Total da   Produção Nacional (M€ relativos a 2008)

Valor dos 7 setores

Valor estimado dos restantes setores

Peso do Cluster   do Mar na Produção Nacional

330.273

4.179

3.644

7.823

100%

1,27%

1,10%

2,37%

VAB Nacional

(M€ relativos a 2008)

Valor dos 7 setores

Valor estimado dos restantes setores

Peso do Cluster   do Mar no VAB

149.311,1

1.749,7

2.446,7

4.196,5

100%

1,17%

1,64%

2,81%

Verifica-se que o peso do cluster do mar representa 2,37% na produção nacional e 2,8% no Valor Acrescentado Bruto (VAB) nacional.

Os valores absolutos retirados da [MEM] para os sete setores relativos ao consumo intermédio dos setores, à produção, ao VAB e às importações, estão representados na seguinte figura:

as1                       

Observa-se a importância do setor dos “portos marítimos”, pois é o que mais utiliza consumos intermédios dos outros setores, sendo responsável por 19% quer do VAB quer do Volume de Negócios do Mar e por 0,54% do VAB Nacional. Refira-se ainda o elevado valor de importações do setor da transformação de pescado, o qual pode ser minimizado por produção nacional.

Os valores absolutos relativos às exportações, ao total de empregos, aos consumos intermédios dos produtos e à formação bruta de capital fixo, estão representados na figura seguinte:

as2 

Nas exportações e no emprego o setor mais importante é a “transformação e comercialização de pescado” com 35% e 29% do cluster do Mar e 0,87% e 0,27% a nível nacional.

Relações Intersetoriais em valores absolutos no Cluster do Mar

A força de um cluster depende da robustez das relações comerciais e financeiras entre as empresas e os setores que o constituem. Os dados da [MEM] revelam que as ligações intersectoriais são, em geral, muito fracas. Existem algumas relações intra-setoriais – dentro de cada sector – importantes. Os dados relativos à Marinha foram obtidos a partir do orçamento anual e não a partir da Matriz (que não a autonomiza, englobando-a na “Administração Pública”). Os fluxos intermédios no cluster estão representados na figura seguinte.

as3 

Salientam-se, pela sua maior importância, as ligações entre: a Marinha e a construção e reparação naval (120 m€); entre os transportes marítimos e os portos (75,5 m€); e entre a pesca e a transformação de pescado (24,5 M€).

Coeficientes de Interdependência – Matriz Inversa

A matriz inversa proporciona a determinação do relacionamento direto e indireto, através dos coeficientes de interdependência. Neste estudo, tendo em atenção a realidade da economia marítima portuguesa, e tendo em atenção o que se passa noutros estudos, estabeleceram-se os seguintes valores de referência obtiveram-se as seguintes interdependências:

  1. Coeficientes de interdependência ≥ 0,5– para ligações fortes - não existem;
  2. Coeficientes de interdependência ≥ 0,1 e < 0,5 – para ligações médias (representada a verde): verifica-se uma dentro do cluster e mais quatro com outros setores fora do cluster;
  3. Coeficientes de interdependência ≥ 0,05 e < 0,1 - ligações fracas (representada a azul): não existem dentro do cluster, mas existem muitas com setores fora do cluster.
  4. Coeficientes de interdependência < 0,05 - ligações sem relevância para um cluster.

A tabela seguinte apresenta uma amostragem da matriz inversa, evidenciando os sete setores.

Ramos homogéneos

Descrição dos   produtos

Pesca e aquicultura

Preparação e   conservação de peixes

Construção naval

Reparação naval

Transportes por   água

Auxiliares dos   transportes por água

Náutica recreio   marinas

Pesca e aquicultura

1,06

0,03

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Preparação e   conservação de peixes,

0,00

1,14

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Construção naval

0,00

0,00

1,01

0,00

0,00

0,00

0,00

Serviços de   reparação naval

0,02

0,00

0,00

1,09

0,01

0,00

0,00

Transportes por   água

0,00

0,00

0,00

0,00

1,16

0,00

0,00

Serviços auxiliares   dos transportes por água

0,01

0,00

0,00

0,00

0,17

1,01

0,00

Serviços náutica   recreio, marinas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

1,00

 

 

 

 

 

 

 

 

Fabricação de   produtos metálicos, exceto …

0,01

0,01

0,12

0,06

0,01

0,00

0,01

Reparação,   manutenção e instalação máquin

0,02

0,02

0,00

0,12

0,01

0,01

0,01

Atividades   auxiliares dos transportes

0,01

0,00

0,00

0,00

0,08

0,28

0,00

Atividades de   aluguer

0,00

0,00

0,01

0,01

0,13

0,01

0,03

 

Efeitos Multiplicadores das Atividades Marítimas

Para se avaliar o verdadeiro impacto da economia marítima portuguesa há que lhe adicionar os seus “efeitos indiretos” (compras a outros sectores) e os “efeitos induzidos” (resultantes das compras efetuadas pelos trabalhadores das atividades marítimas). Na análise de entradas - saídas e no cálculo dos multiplicadores é importante distinguir o conceito de endógeno (estar dentro do modelo) do conceito de exógeno (estar fora do modelo).

Os multiplicadores do Tipo-1 – avaliam o acréscimo direto e indireto sobre a produção, emprego, rendimento ou impostos resultantes de um incremento na procura final de um determinado produto ([MEM] aberta);

Os multiplicadores do Tipo 2 – revelam o acréscimo induzido pelos salários das famílias sobre a produção, emprego, rendimento ou impostos, resultantes de um incremento na procura final de um determinado produto ([MEM] fechada).

Procedendo aos cálculos, para uma procura inicial unitária por setor, mantendo os restantes inalteráveis, foram obtidos os efeitos multiplicadores do tipo-1 (efeitos diretos+indiretos) e do tipo-2 (efeitos diretos+indiretos+induzidos) para as atividades marítimas em estudo, como se mostra na tabela seguinte:

Setores Marítimos / Fatores multiplicadores

Tipo-1

Tipo-2

Efeito   Induzido

Pesca e   aquicultura

1,459

2,588

1,129

Preparação   e conservação de peixes, crustáceos

1,625

2,343

0,717

Construção   naval

1,447

2,509

1,061

Serviços   de reparação naval

1,591

2,751

1,16

Transportes   por água

2,066

3,090

1,025

Serviços   auxiliares dos transportes por água

1,564

2,662

1,097

Serviços   náutica recreio marinas

1,769

3,075

1,306

Da análise dos fatores multiplicadores resulta a importância dos “Transportes Marítimos” e da “Náutica de Recreio”, ostentando os maiores efeitos multiplicadores.

Em termos de valores monetários do impacto, originados pelos fatores multiplicadores, resulta a seguinte figura:

 as4

Com base na matriz fechada MEM, discriminando e contando os produtos onde se fazem sentir, com maior intensidade os efeitos da procura no setor marítimo, o número de produtos influenciados significativamente está representado na Tabela. Nesta tabela é também feita a comparação com os multiplicadores do tipo-1 anteriormente calculados.

Na análise do impacto do Tipo-1 e do Tipo-2, nas Importações e VAB, para os setores marítimos, obtiveram-se os valores dos multiplicadores se apresentam na Tabela:

Multiplicadores   das Importações e do VAB

Por   setor marítimo

Pesca e aquicultura

Transformação do   pescado

Construção naval

Serviços de   reparação naval

Transportes marítimos

Portos Marítimos

Náutica d recreio   marinas

Importações

Tipo-1

3,167

1,296

1,261

1,523

2,173

1,920

2,382

Tipo-2

4,801

1,397

1,464

1,875

2,762

3,591

3,775

VAB

Tipo-1

1,290

2,278

1,496

1,607

2,935

1,535

1,874

Tipo-2

1,759

3,363

2,325

2,415

4,067

2,087

2,800

Considerando apenas os valores dos multiplicadores, verifica-se que nas importações o setor das pescas e aquicultura apresenta o maior valor, pelo que, em termos de políticas de economia do mar, é fundamental contrariar esta situação, através da substituição de importações competitivas por produtos nacionais. No VAB observa-se que é o setor dos transportes marítimos aquele que apresenta um multiplicador mais significativo, pelo que, em termos de políticas de economia do mar, é fundamental incentivar este setor, que se traduzirá em mais emprego e rendimento.

Outras quantificações e Conclusões

Outras quantificações podem ser calculadas, como por exemplo os “Índices de Ligação - para Trás e para a Frente” que mostram o encadeamento e a dependência dos setores marítimos relativamente aos restantes setores ou o cálculo do impacto no emprego marítimo, face ao investimento a realizar em cada setor.

Em termos de conclusões, dos resultados aqui apresentados, verifica-se que os setores de atividade marítima representam um segmento da economia que gera emprego e riqueza, mas que necessita de ser potenciado, pois sendo Portugal um país marítimo, a contribuição para o PIB é relativamente baixa, na ordem dos 2,5%. Através dos coeficientes técnicos verificou-se um baixo nível de interligações, a que corresponde um baixo nível de trocas comerciais dentro do cluster. Através dos coeficientes intersetoriais verificou-se que não existem ligações fortes, mas apenas algumas ligações médias entre setores. Também, dos 126 setores considerados na [MEM], apenas onze apresentam ligações significativas com os setores marítimos, valor muito pouco significativo.

Nota: Trabalho realizado no âmbito do doutoramento em e.Planning

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Threesome