O turismo de cruzeiros no Porto de Leixões: situação atual e perspetivas futuras - Margarida Rocha

 

Turismo de cruzeiros

O grau de satisfação com um destino turístico durante a realização de um cruzeiro é muito importante, pois poderá significar o regresso do turista quer num novo cruzeiro, quer por outra forma de viagem que resulte numa estadia mais demorada. A indústria de cruzeiros é uma das que apresenta maior taxa de satisfação e de fidelização do sector turístico, pelo que a experiência a bordo e as experiências vividas nos portos de escala são muito significativas. A satisfação dos turistas e a sua fidelização são essenciais para rentabilizar os navios, as companhias de cruzeiro e os próprios destinos de escala e/ou turnaround.

Em março de 2011 a APDL (Administração dos Portos do Douro e Leixões) promoveu a conferência “O Novo Terminal de Cruzeiros: que perspetivas para o turismo” tendo um dos convidados sido Peter Wild, da “G. P. Wild (International) Limited”. Saliento que nessa conferência Peter Wild referiu que a Europa é vista tradicionalmente, no ponto de vista da indústria de cruzeiros, como tendo dois principais destinos o Mediterrâneo e o Norte da Europa, contudo o foco está a alterar-se para a faixa atlântica, até à época vista mais como um ponto de passagem entre o Norte da Europa e o Mediterrâneo. Tendo em conta a localização do Porto de Leixões é de referir que este crescente interesse pela faixa Atlântica da Europa poderá ter impacto positivo no número de cruzeiros a realizar escala e/ou turnaround em Leixões.  

Foi recentemente divulgado, em junho de 2012, o estudo do ECC (European Cruise Council) referente aos impactos económicos da indústria dos cruzeiros na Europa em 2011. O impacto do turismo de cruzeiros na economia da Europa, em 2011, foi de 36,7 mil milhões de euros. Relativamente a gastos diretos o valor atingiu, em 2011, 15 mil milhões de euros gastos pelas companhias de cruzeiros, passageiros e tripulação. De referir ainda que a indústria de cruzeiros criou mais de 315 mil empregos na Europa. Neste relatório o ECC apresenta também uma evolução dos impactos económicos e do número de turistas de cruzeiros na Europa, no período entre 2006 e 2011. Relativamente ao número de turistas de cruzeiros Europeus, este cresceu 77%, de 3,4 milhões, em 2006, para pouco mais de 6 milhões, em 2011. Os embarques nos Portos Europeus aumentaram em 54% entre 2006 e 2011, com 3,6 milhões, em 2006, e 5,6 milhões, em 2011. Em relação ao número de turistas de cruzeiros em trânsito na Europa aumentaram 79%, de 15,7 milhões, em 2006, para 28,1 milhões, em 2011.  

Turismo de cruzeiros no Porto de Leixões

No ano de 2010 os Portos Portugueses receberam mais de um milhão de turistas de cruzeiros, meta que foi novamente atingida e ultrapassada em 2011.

Segundo dados da APDL em 2010 passaram pelo Porto de Leixões 27.494 passageiros, registando-se a escala de 49 navios de cruzeiro; em 2011 o número de escalas subiu para 56 e o número de passageiros para 41.829. A APDL divulgou recentemente, no seu site, que no primeiro semestre de 2012 passaram pelo Porto de Leixões mais do dobro de turistas de cruzeiros do que em igual período do ano passado, tendo-se verificado um incremento superior a 50%, de 13.000 passageiros para, 29.000 passageiros.

Um fator que em muito contribuiu para o aumento do número de turistas de cruzeiros a passar pelo Porto de Leixões foi a construção do novo cais de cruzeiros, que integra o projeto do “Novo Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões”. Com o novo cais, inaugurado a 28 de abril de 2011, o Porto de Leixões pode receber navios de cruzeiro até 300m de comprimento (mais 50m do que anteriormente). Se o número de navios a escalar em Leixões não subiu em grande percentagem, o aumento médio do número de passageiros por navio subiu consideravelmente.

Relativamente ao setor de turnaround no Porto de Leixões salienta-se que, em 2011 e 2012, decorreu o embarque de passageiros em cruzeiros da companhia Pullmantur, ambos os cruzeiros com destino ao Norte da Europa. Com a construção da nova estação de passageiros, integrada no projeto do “Novo Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões”, prevista para o início de 2014 (APDL), o Porto de Leixões irá oferecer ainda melhores condições para o embarque e/ou desembarque de passageiros. A proximidade do Porto de Leixões ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, com variadas e frequentes ligações aéreas, o que incluí voos entre o Porto e o segundo mercado emissor mundial de turistas de cruzeiros, o Reino Unido, poderá contribuir para impulsionar o turismo de cruzeiros de turnaround no Porto de Leixões. Segundo dados da APDL no passado dia 24 de abril de 2012 passaram pelo Porto de Leixões 4.000 turistas de cruzeiros, o que representou um recorde do número de passageiros a passar pelo Porto de Leixões num único dia.

Registaram-se recentemente as escalas inaugurais do navio “Queen Elizabeth” (com capacidade para 2.172 passageiros) em Novembro de 2011 e do “Queen Victoria” (com capacidade para 2.172 passageiros) em Abril de 2012, ambos os navios da mítica companhia de cruzeiros “Cunard”.

Estudo de mercado – O mercado da indústria de cruzeiros: o caso do Porto de Leixões

“O mercado da indústria de cruzeiros: o caso do Porto de Leixões” foi um projeto de investigação que desenvolvi no âmbito do Mestrado em Gestão e Planeamento em Turismo, da Universidade de Aveiro, sob orientação da Professora Doutora Celeste Eusébio.

Este estudo teve como principal objetivo caracterizar o mercado do turismo de cruzeiros no Porto de Leixões, desde o seu perfil, motivações, comportamento em viagem e no destino, e graus de satisfação e de fidelização com o cruzeiro e com o destino Porto/Norte de Portugal.

De forma a recolher os dados necessários foram aplicados inquéritos por questionário a 173 turistas de cruzeiros cujos navios fizeram escala no Porto de Leixões, a 22, 23, 27 e 30 de agosto de 2010.

Quanto ao perfil dos turistas conclui-se que 55,2% eram do sexo feminino e 44,8% do sexo masculino, sendo a idade média 61 anos. A maioria (70,9%) era casada, reformados (56,7%) e possuía o ensino superior (73,4%).

Em relação à proveniência dos turistas de cruzeiros 57,1% residiam no Reino Unido, 30,5% nos Estados Unidos e os restantes em diferentes países como o Brasil, a Rússia, a Austrália, etc. De salientar que a nível mundial os principais mercados emissores de turistas de cruzeiros são os Estados Unidos e o Reino Unido, tendência que se verificou na amostra inquirida.

Quase 85% dos inquiridos (83,9%) já tinha realizado pelo menos um cruzeiro anteriormente.

A maioria dos turistas encontrava-se a realizar o cruzeiro com familiares (72,5%), 13,8% com amigos e 5,6% sozinhos.

A grande maioria dos inquiridos estava a visitar o Porto pela primeira vez (81,4%), sendo que 64% preferiu realizar uma excursão organizada.

O nível de satisfação com o cruzeiro era bastante elevado e a probabilidade de voltar a realizar um cruzeiro com as mesmas características (grau de fidelização) era também alta.

Em relação ao grau de satisfação com o destino Porto/Norte de Portugal 41,3% dos inquiridos encontrava-se satisfeito e 39,4% muito satisfeito. Quanto à avaliação da estação de passageiros do Porto de Leixões (Leça da Palmeira) esta foi bastante positiva, sendo que 47,1% avaliaram a estação como boa e 17,2% como excelente.

Quanto aos principais pontos positivos do destino Porto/Norte de Portugal os turistas referiram a simpatia das pessoas, a arquitetura, a história e o cenário.

Durante a escala o valor médio gasto foi 56€, sendo que o produto mais adquirido foi o vinho.

Verificou-se que quanto maior a duração da escala no Porto de Leixões maior o grau de satisfação com o destino Porto/Norte de Portugal, sendo que 42,9% dos inquiridos consideraram a duração da escala como curta e 20% como muito curta.

Dos inquiridos 30,8% considera como provável voltar ao Porto em cruzeiro e 20,1% como muito provável. Relativamente à possibilidade de regressar ao Porto sem ser ao cruzeiro 23,9% considera provável e 14,6% muito provável. Quanto à probabilidade de recomendar o destino Porto 30,6% dos inquiridos considera muito provável e 35% considera provável.

Mais de metade dos turistas inquiridos (55,3%) encontra-se disponível para iniciar e/ou terminar o seu cruzeiro no Porto, o que revela o potencial de crescimento do sector de turnaround no Porto de Leixões.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Threesome